Segunda tem ato público em frente ao NRE de Foz e viagem para Curitiba

0

Mobilização no Núcleo Regional de Educação será às 8h; ônibus para o ato estadual unificado sai de Foz à noite.

O ato regional de deflagração da greve dos(as) educadores(as) do Paraná será na próxima segunda-feira, 2, às 8h, em frente ao Núcleo Regional de Educação (NRE). No mesmo dia, às 22h30, professores(as), pedagogos(as) e funcionários(as) embarcam para Curitiba, onde participam do ato unificado dos(as) servidores(as) públicos(as).

A greve da educação é uma resposta à tentativa do governador Ratinho Junior (PSD) de aprovar, ainda neste ano, a reforma da Previdência do Paraná. Se avançar, esse ataque representará redução de salários e perda de benefícios da categoria já a partir de janeiro de 2020. O projeto tramita na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), em regime de urgência.

O desmonte da aposentadoria eleva para 14% o percentual de contribuição da Previdência para servidores(as) em atividade profissional, aposentados(as) e pensionistas. Impõe uma combinação cruel fazendo com que, para conseguir se aposentar com 100% do benefício (da média salarial, não da remuneração), educadores(as) precisarão de 40 anos de contribuição. Ainda, institui a Previdência complementar, de natureza privada.

Os(as) educadores(as) também entram em greve contra o pacote de desmonte educacional e de retiradas de direitos. A SEED promete uma resolução de distribuição de aulas que mantém ataques do passado e insere novas maldades que prejudicam professores(as), a organização e a autonomia das escolas.

A paralisação é em defesa dos(as) trabalhadores(as) PSS, que já pagam uma conta alta devido a contratos precários e pelo desemprego. Ratinho Junior quer, agora, que direções de escolas decidam sobrem quais PSS poderão ter os contratos de trabalho renovados, sem qualquer critério ou observância às leis do serviço público.

Ratinho Junior e sua turma – que tem à frente o secretário-empresário Renato Feder – pretendem acabar com o Ensino Médio noturno, um duro ataque aos direitos de adolescentes e jovens que trabalham de dia e estudam à noite. Segundo levantamento do sindicato, essa medida deverá causar o desemprego de mais de mil professores(as).

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) corre risco. O governo quer extinguir o ensino de Espanhol nas escolas paranaenses e fechar o Celem. E a lista segue! É um retrocesso atrás do outro.

Neste contexto, a greve é em defesa da escola pública. É pelo direito à aposentadoria. É contra o atual projeto guiado por índices e para o setor privado. É por uma educação que ensine para a emancipação, a autonomia e a solidariedade. A greve é em defesa da riqueza e da pluralidade da vida social, e, portanto, contra a barbárie e a exclusão do mercado.

Ônibus para o ato estadual em Curitiba

O ato unificado dos(as) servidores(as) que será em Curitiba, na terça-feira, 3, será um dos principais termômetros para se medir os rumos da paralisação. A direção da APP-Sindicato/Foz enfatiza a importância da participação dos(as) educadores(as) de Foz e região.

Os ônibus sairão de Foz do Iguaçu na segunda-feira, 2, às 22h30, da Santi Móveis. Para reservar sua vaga, basta informar nome completo e RG para o e-mail fozdoiguacu@appfoz.com.br ou informá-los pelo telefone (45) 3027-1893.

Share.

Leave A Reply