Fica Espanhol: reunião em Foz nesta quarta definirá agenda de mobilização

0

O Governo do Paraná pretende extinguir o ensino de Espanhol na educação básica, a partir do ano que vem. Para definir ações e mobilização em defesa da manutenção da língua espanhola na rede estadual de ensino, o Movimento #FicaEspanhol realiza reunião nesta quarta-feira, 27, às 18h30, na sede da APP-Sindicato/Foz.

O encontro é dirigido a professores(as) de Espanhol de escolas estaduais e universidades, estudantes e docentes de outras áreas. O objetivo é envolver a comunidade, educadores(as) e representantes públicos em um movimento amplo pela continuidade da oferta dessa disciplina aos(às) estudantes paranaenses.

“Queremos informar e engajar educadores(as), alunos(as) e a comunidade na defesa do Espanhol. Esse movimento está acontecendo em várias regiões do estado”, explica Flávio Pereira, professor de Cultura Hispânica, Literaturas Espanhola e Hispano-Americana na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste/Foz), e coordenador da seção iguaçuense do Movimento #FicaParaná.

A reforma do Ensino Médio revogou a lei da obrigatoriedade do Espanhol. Com isso, o Governo Ratinho Junior quer manter na grade curricular somente o idioma inglês. O desmonte inclui, ainda, o fechamento do Celem em todo o Paraná. Não há decisão do governo sobre como ficará a atividade dos(s) professores(as) de Espanhol.

“A defesa do Espanhol deve ser feita junto com as demais lutas pela educação pública do Paraná, unindo todos(as) os(as) educadores(as) e a comunidade. Essa não é uma medida isolada. Faz parte do projeto de Ratinho Junior que é de desmonte da escola e de retirada de direitos dos(as) servidores(as)”, defende o secretário de Finanças da APP-Sindicato/Foz, Silvio Borges, que leciona Espanhol.

Uma das línguas mais faladas no mundo, o Espanhol é adotado como idioma nacional em 21 países, sendo uma das línguas oficiais do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Retirá-lo da grade curricular das escolas é um retrocesso sem precedentes, por sua importância no cenário internacional e na América Latina.

Para o Paraná, o Espanhol é fator de integração cultural, educacional e econômica com os países vizinhos, como Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, entre outros.

Além disso, a imensa maioria dos(as) estudantes que fazem o Exame do Ensino Médio (Enem) opta pelo Espanhol como língua estrangeira para realizar a prova.

No contexto de Foz do Iguaçu, nas Três Fronteiras, o Espanhol é utilizado oficialmente na bilíngue  Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Sem o acesso a esse idioma no Ensino Médio, estudantes paranaenses terão dificuldades de aprendizado em relação a universitários hispanohablantes.

A Unioeste/Foz oferece curso de Letras/Espanhol, uma das formações na área mais tradicionais do Paraná. O fim da ensinança espanhola na rede estadual terá reflexos negativos diretos nessa graduação.

O Espanhol é fator de acesso ao exercício profissional, tanto para jovens que trabalham no comércio em Ciudad del Este, no Paraguai, quanto para quem atua no segmento turístico de Foz do Iguaçu. Vale destacar que a maior parte dos turistas estrangeiros que visitam o destino vem de países da América Latina, principalmente da Argentina.

Share.

Leave A Reply