Com caos da EaD, governo anuncia cancelamento das licenças obrigatórias

0

Patético e demonstrando total desconhecimento sobre a gestão da escola pública, o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, fez um vídeo na manhã desta terça, 7, para anunciar o fim das licenças especiais obrigatórias.

Clique para assistir ao vídeo. 

As licenças compulsórias, que haviam entrado em vigor nessa segunda-feira, 6, foram denunciadas e combatidas pelo sindicato. O(a) servidor(a) deve optar pelo benefício de acordo com a sua disponibilidade. Ratinho Junior e Renato Feder impuseram as licenças em meio à atual situação de emergência em saúde pública.

O recuo do Governo do Paraná veio depois que um verdadeiro caos tomou conta da educação pública no estado, devido à improvisão da educação a distância (EaD) nas escolas da rede, imposta sem planejamento, sem recursos técnicos mínimos e, devido às licenças obrigatórias, sem professores(as).

“A licença que a gente tava indo colocar, a gente não está mais fazendo essa licença, a gente agora vai transformar ela em uma licença voluntária, porque a gente precisa dos professores nas salas virtuais”, disse Feder, apelando para que os professores(as) se rendam à EaD.

A direção da APP-Sindicato/Foz reforça a orientação aos(às) educadores(as): não gravem conteúdo para a educação a distância. O sindicato e diversos pais e mães já entraram com ações para que a Justiça impeça o avanço dessa proposta de Ratinho Junior e Renato Feder que precariza o ensino e exclui os(as) estudantes das famílias e comunidades mais pobres.

O sindicato reafirma que o momento é de defesa da vida. Conteúdos, metodologia e reposição de aulas deverão ser debatidos, com todos os sujeitos envolvidos, depois que passar a pandemia de covid-19. Vale lembrar que reposição presencial é direito do aluno(a).

Desrespeito aos(às) educadores(as)

A APP-Sindicato/Foz reforça o seu repúdio ao Governo do Paraná, em especial, ao secretário Renato Feder, pelo profundo desrespeito com que trata os(as) educadores(as) do Paraná. Ontem, os(as) profissionais receberam a notícia de que estavam de licença; em menos de 24h, esse comunicado foi suspenso pelo governo.

As idas e vidas, os arroubos que demonstram a incopetência do governo afetam os(as) educadores(as) em um período de muita vulnerabilidade. No atual momento de distanciamento social, os trabalhadores(as) da educação pecisam de tranquilidade para cuidar da própria saúde e de seus familiares.

Nesse período de pandemia, o gestor de verdade age com paciência e planejamento, transmitindo tranquilidade para a categoria. Ratinho Junior e Renato Feder deixam os(as) educadores(as) ainda mais ansiosos, a espera do próximo ataque ou da próxima infantilidade vinda desse desgoverno.

Share.

Leave A Reply