APP lança canal para educador(a) denunciar ataques do governo

0

Da APP Estadual

Ferramenta está disponível e mapeará casos de sobrecarga de trabalho, perseguições e assédios institucionais.

A quem interessam propostas como “Lei da Mordaça”, redução da hora-atividade de professores(as), aumento da carga horária de pedagogos(as) e o fim das licenças especiais, entre outras? É preciso refletir e denunciar sob as consequências dos ataques que foram pauta recente na educação pública do Paraná. Por isso, a APP-Sindicato disponibiliza aos(às) sindicalizados(as) uma ferramenta on-line para denuncias de perseguição.

A ferramenta é um espaço para dar voz a professores(as) e funcionários(as) das escolas públicas do Paraná. Agora, depois da institucionalização das medidas de coação e intimidação, as escolas começam a sofrer o resultado; são profissionais estafados(as), com salários congelados e um aumento crescente de casos de adoecimento físico o mental. Isso é grave e impacta na qualidade de vida da categoria e no ensino ofertado aos(às) estudantes.

Escola pública não é empresa – Das últimas gestões até a atual, encabeçada pelo governador Ratinho Jr, a escola pública e os(as) educadores(as) padecem de menos autonomia, menos direitos e trabalham sob um clima de ameaças institucionais. Tudo isso somado a um aumento de demandas das etapas burocráticas do fazer pedagógico. Caminha-se a passos largos para o avigoramento de uma escola que forma – ao menor custo possível – cidadãos sem a capacidade de crítica, mas incentivados(as) apenas a reproduzir os conceitos básicos de disciplinas base (português e matemática).

“Queremos que a categoria nos encaminhe relatos de casos e situações sobre o que de fato acontece no interior das escolas. De forma sigilosa e preservando a identidade do denunciante, vamos ouvir e sistematizar dados sobre como programas como Se Liga, o RCO, a Prova Paraná impactam no dia a dia dos professores”, explica o secretário executivo Educacional, professor Cleiton Costa Denez.

O canal de denúncia está disponível aqui para acessá-lo o(a) educador(a) precisa preencher seu nome completo e RG (esses dados não serão divulgados pelo Sindicato). Em seguida, aparecerá a tela abaixo, com espaço para relatar o ocorrido. Atenção: quanto mais informações, maiores são as chances do Sindicato analisar pedagógica e juridicamente o caso, e assim e orientar o(a) educador(a) sobre o tema. Dados documentais como vídeos, fotos, textos e relatos adicionais devem ser encaminhados para o e-mail: educacional@app.com.br após o preenchimento da tabela, para complementar a denuncia:

“O objetivo deste trabalho de mapeamento nas escolas é sistematizar os dados para cobrarmos da Secretaria de Educação, e dos demais órgãos competentes, caso necessário,propostas de soluções e melhorias para o bom andamento pedagógico. Nós não vamos nos calar diante das iniciativas do governo de controlar e vigiar de forma deliberada, deixando de aplicar recursos para melhoria das condições de trabalho,”, salienta o secretário.

Participe, divulgue e ajude a construir uma escola pública gratuita e de qualidade para todos e todas.

Share.

Leave A Reply