Foz terá 1ª Marcha da Diversidade Social e do Orgulho LGBTI+

0

Organizadores convidam a população para participar do evento contra o preconceito e a discriminação.

Valorizar e respeitar as diferenças e combater o preconceito e a discriminação. Com esses objetivos, Foz do Iguaçu receberá a 1ª Marcha da Diversidade Social e do Orgulho LGBTI+, no dia 15 de novembro, com concentração das 13h às 15h, em frente à Caixa Econômica Federal, no início da Avenida Brasil.

Os participantes da mobilização seguirão em passeata pelas ruas centrais da cidade, das 15h às 16h. A parada da Diversidade Social e do Orgulho LGBTI+ acontecerá na Praça da Paz (Avenida JK), das 16h às 22h, com a realização de rodas de conversa, ato público com espaços para falas e apresentações artísticas e culturais.

Antes da marcha, estão programadas várias atividades preparatórias e de sensibilização da comunidade, incluindo oficinas e debates em bairros populares e na Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana). As atividades gratuitas e abertas para a população abrangem diversidade de gênero, sexualidade e educação sexual.

Um dos coordenadores do evento, Flávio Rodrigues explica que a marcha quer dar visibilidade às pessoas que sofrem preconceito e discriminação, e a suas demandas. “Sejam elas LGBTI+, mulheres, negros, imigrantes, religiosos, indígenas… A ideia é unir esses grupos e criar uma agenda comum para combatermos todas as ideias de separação entre as pessoas”, frisa.

Marcha

A marcha acontece dia 15 de novembro em Foz do Iguaçu – foto Reprodução

O ativista convida os moradores, sem distinção, das cidades das Três Fronteiras para participar da 1ª Marcha da Diversidade Social e do Orgulho LGBTI+. “Nossa intenção é ajudar as pessoas a desfazer-se de suas concepções preconcebidas, os preconceitos, desfazendo a ideia de que um grupo, ou pessoa, é inferior ou superior ao outro”, destaca.

Respeito às diferenças

Conforme Flávio, a marcha visa a evidenciar o preconceito sofrido pelas pessoas diariamente e apontar formas de enfrentá-lo. “A sociedade não apenas discrimina cada grupo minoritário, mas também os separa, visando o seu enfraquecimento no âmbito social e político, ou seja, o silenciamento dessas pessoas”, reflete.

O ativista explica que as violências físicas e simbólicas fazem parte do cotidiano e estão presentes nas ruas, que são o principal espaço público refletor da diversidade humana. Para ele, as principais vítimas são gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais, negros, índios, pessoas em situação de rua e de religiões marginalizadas.

“São todos aqueles que convivem com as diversas formas de preconceito aplicadas como maneiras de desumanizar, segregar e desunir a sociedade”, enfatiza. Segundo Flávio, são necessárias políticas públicas e envolvimento de toda a sociedade para estimular a desconstrução da desqualificação identitária que atinge essas populações.

Organização:
COMO-LGBTI+ (Comissão Organizadora da Marcha da Diversidade Social e Orgulho LGBTI+ de Foz do Iguaçu e Tríplice Fronteira)

Programação completa:

Festa Pré-Marcha – Esquenta
Data: 10 de novembro (sábado)
Horário: 21h
Local: Pub Medusa (venda de ingressos no local para o custeio da mobilização)

I Jornada de Diversidade de Gênero e Sexualidades
Data: 12, 13 e 14 de novembro (segunda, terça e quarta)
Horário: das 8h às 18h
Local: Unila – Jardim Universitário

I Circuito de Oficinas sobre Educação Sexual
Data: 12, 13 e 14 de novembro (segunda, terça e quarta)
Horário: das 8h às 18h
Local: bairros populares de Foz do Iguaçu

Cinedebate com a exibição do filme Paris in Burning e bate-papo com drags, performances e DJs
Data: 13 de novembro (terça)
Horário: 22h
Local: Sudakas Bar

1ª Marcha da Diversidade Social e do Orgulho LGBTI+
Data: 15 de novembro (quinta)
Horário: 13h (concentração)
Local: calçada em frente à Caixa

 

Share.

Leave A Reply