Eleição para presidente: educador(a) a favor da escola pública e dos direitos

0

Conselho Regional da APP-Sindicato/Foz orienta a categoria a debater e defender projeto favorável à educação nestas eleições.

Considerando a deliberação do Conselho Estadual da entidade, a APP-Sindicato/Foz realizou reunião ampliada do Conselho Regional nessa quinta-feira, 18, para debater, avaliar, e posicionar-se em relação ao segundo turno das eleições para a Presidência da República, votação que acontece no dia 28 de outubro.

Os projetos defendidos e implementados pelos governos impactam diretamente na educação, com efeitos na organização, financiamento e acesso à escola pública. Decisões governamentais afetam a atividade profissional do(a) educador(a) na sala de aula, determinam maior respeito ou a completa retirada de direitos da categoria, representam valorização ou ataque à carreira docente.

O Brasil de Michel Temer (MDB) e o Paraná de Beto Richa-Cida Borghetti (PSDB-Progressistas) são exemplos de como as decisões dos governos podem ser prejudiciais à educação.

Temer congelou investimentos na educação por vinte anos, aprovou as reformas Trabalhista e do Ensino Médio e prepara a reforma da Previdência Social. O Governo Richa-Cida impôs retrocessos sem tamanho, como o corte de recursos para o ensino público, calote da data-base, “Resolução da Maldade”, redução de salários e da hora-atividade, confisco do fundo da previdência e escalada de perseguições e punições a educadores(as).

Se a chamada “crise da educação” no país é um projeto, a defesa da escola pública, gratuita e de qualidade dever resultar de um programa construído por toda a sociedade. A educação não se realiza fora democracia e sem participação.

Em sete décadas de história, a APP pauta-se pela defesa da escola pública, gratuita e de qualidade, das liberdades e garantias dos direitos dos(as) trabalhadores(as), e contra todas as formas de violência. É o que diz o estatuto do sindicato. É o que move a consciência dos(as) educadores(as) da rede estadual do Paraná. E não será diferente neste momento decisivo para o futuro do Brasil, a educação e os(as) trabalhadores(as).

Desta forma, o Conselho Regional da APP-Sindicato/Foz orienta professores(as) e funcionários(as) a analisar os projetos defendidos pelos dois candidatos a presidente, considerando a pauta historicamente defendida pelos(as) educadores(as), a trajetória de cada postulante à presidência e seu comprometimento com a democracia, a liberdade, a diversidade e as diferenças, valores indissociáveis do ato de educar.

O Conselho Regional da APP-Sindicato/Foz deliberou:

1) Produzir e distribuir Carta Aberta a estudantes, mães e pais para fomentar o verdadeiro debate em torno dos projetos para a educação representados pelos candidatos Fernando Haddad e Jair Bolsonaro.

2) Organizar comitês em defesa da democracia e dos direitos em cada escola, reunindo professores(as), funcionários(as) e estudantes, bem como as representações da comunidade escolar (grêmio estudantil, APMF, coletivos culturais, entre outros).

3) Promover panfletagens para a distribuição da Carta Aberta e diálogo com a comunidade escolar, fora do horário de expediente dos educadores(as) e do espaço físico da escola.

4) Distribuir e debater o conteúdo do Jornal 30 de Agosto “Nós escolhemos a educação”, entre a categoria.

5) Fortalecer a Frente Democrática de Foz do Iguaçu, colegiado formado por sindicatos de trabalhadores(as) e movimentos sociais em defesa da democracia, das liberdades individuais e dos direitos sociais.

#NenhumDireitoaMenos

 

Share.

Leave A Reply