Não ao desemprego de educador(a) PSS! Meritocracia empresarial não combina com educação pública

0

O Governo Ratinho Junior insiste em aplicar prova para educadores(as) PSSs, os(as) trabalhadores(as) contratados por Processo Simplificado de Seleção. Dizemos não! Prova é para concurso público.

Para fortalecer a luta em defesa dos PSSs, a direção da APP-Sindicato/Foz convoca a categoria – servidores(as) temporários e efetivos – para reunião nesta quarta-feira, 7, às 18h30, na sede do Núcleo Sindical.

Com pauta única, a reunião vai discutir formas de enfrentamento à “meritocracia empresarial” que pretende impor mais desemprego aos(às) educadores(as) do Paraná. A categoria precisa mobilizar-se para garantir a manutenção da contratação dos(as) profissionais conforme as regrais atuais, por meio de prova de títulos e tempo de serviço.

“A manutenção do PSSs vigentes é uma luta imediata de toda a categoria. Mas precisamos avançar e exigir concurso público, pois o contrato temporário no Paraná se transformou em prática permanente que serve à exploração dos(as) educadores(as) e à precarização dos direitos. Basta lembrarmos que estamos há seis
anos sem concurso”, enfatiza Cátia Castro, presidenta da APP-Sindicato/Foz.

A “meritocracia empresarial” é defendida com unhas e dentes pelo secretário de Educação Renato Feder, que foi “importado” de outro estado para fazer avançar no Paraná, de forma radical, a privatização e a terceirização. Feder não possui conhecimento algum sobre escola pública e nem interlocução com os(as) educadores(as). Seus compromissos e agenda estão associados aos interesses de grandes grupos e institutos que veem a educação como mercadoria e lucro.

Hoje, são aproximadamente 30 mil educadores(as) que aguardam concurso público e conseguem trabalhar somente por PSS. Os ataques iniciados por Beto Richa e mantidos por Ratinho Junior resultaram em quase 20 mil desempregados(as). Com a imposição da prova, esse número crescerá ainda mais.

“A prova para PSS tem o objetivo de precarizar ainda mais as condições de trabalho dos(as) educadores(as). Isso é só o começo. Em breve, exigirão prova para progressão na carreira e para o acesso da categoria a outros direitos que estão na lei. A “meritocracia empresarial” do atual governo é nefasta à escola pública”, frisa Cátia Castro.

Reunião sobre “Meritocracia: prova para educador(as) PSS”
Data: 7 de agosto (quarta-feira)
Horário: 18h30
Local: APP-Sindicato/Foz (Travessa Cristiano Weirich, 91, centro, Foz

convocação

Share.

Leave A Reply