Professores/as são agredidos em ato contra a corrupção no Governo Richa

0

Educadores/as protestaram em Santa Terezinha durante evento com Rossoni, Traiano e Pepe Richa

CLIQUE para assistir ao vídeo da agressão

Professores/as da rede estadual realizaram manifestação contra a corrupção no Governo Richa, nesta sexta-feira (1°), em Santa Terezinha de Itaipu. O ato aconteceu em evento organizado pelo prefeito da cidade, Cláudio Eberhard (PSDB), com as presenças do chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), do presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB) e do secretário de Infraestrutura, Pepe Richa (PSDB).

Os educadores/as decidiram expor uma faixa cobrando o término da construção do colégio Arcângelo Nandi, que fica em Santa Terezinha de Itaipu, quando foram agredidos por seguranças particulares do evento e ocupantes da Guarda Patrimonial da prefeitura. A Arcângelo Nandi é uma das instituições prejudicadas pelo esquema de desvio de recursos investigado pela Operação Quadro Negro.

Ros

Em tom de comício, Rossoni prometeu verbas mas não falou sobre o término das obras da Arcângelo Nandi

Agindo com brutalidade para impedir a iniciativa cidadã dos professores/as, os seguranças tentaram obstruir o registro de imagens da manifestação e da agressão física, buscando arrancar à força os aparelhos celulares dos professores/as. A faixa foi retirada e rasgada, enquanto os apadrinhados políticos do governador e do prefeito hostilizavam e ameaçavam os educadores/as.

Enquanto acontecia o protesto em Santa Terezinha de Itaipu, professores/as de Curitiba também protestavam contra o desvio de verbas destinadas à construção de escolas. A mobilização aconteceu em frente à casa do governador Beto Richa (PSDB), tido como o principal beneficiário do eventual esquema de corrupção investigado no âmbito da Quadro Negro, conforme está sendo veiculado nas reportagens jornalísticas sobre o caso.

c

Nesta sexta-feira, educadores/as também protestaram na frente da casa do governador Beto Richa (PSDB)

Quadro negro

Nesta sexta-feira, a imprensa estadual e nacional reproduziu trechos da delação feita à PGR (Procuradoria-Geral da República) pelo dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza. Segundo diversos veículos, o empresário relatou que desviou R$ 17 milhões que deveriam servir para a construção de escolas públicas no Paraná, entre elas, a Arcângelo Nandi, em Santa Terezinha de Itaipu. As obras jamais saíram do alicerce.

Conforme os meios jornalísticos, o empresário Eduardo Souza confirmou à PGR que parte do dinheiro desviado foi repassado para a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB). A propina era entregue em caixas de vinho. De acordo com as reportagens, o dono da construtora Valor detalhou a participação no esquema de Valdir Rossoni, Ademar Traiano, do ministro da Saúde, Ricardo Barros, entre outros.

O proprietário da Valor disse em depoimento que até uma viagem do governador Beto Richa com sua família ao Caribe foi paga com o dinheiro da corrupção. Conforme noticiaram os jornais e emissoras de televisão, quando foi presidente da Assembleia Legislativa, Valdir Rossoni “devolvia” ao governo parte do orçamento do legislativo, recurso que era utilizado para o pagamento de aditivos à Valor.

Uma das reportagens revelou que Eduardo Lopes de Souza disse ter recebido instruções do então diretor-geral da Secretaria de Educação, Maurício Fanini, para apresentar valores baixos em licitações para a construção de escolas. “Depois eles acertariam tudo com aditivos contratuais que permitem pagamentos adicionais nas obras”, destaca uma das matérias.

Veja algumas reportagens sobre o caso:

Envolvimento de Beto Richa, CLIQUE AQUI

Denúncia contra Valdir Rossoni, CLIQUE AQUI

Participação de deputados, CLIQUE AQUI

Envolvimento do ministro Ricardo Barros, CLIQUE AQUI

Share.

Leave A Reply